Qualificando Relações

Vamos falar sobre o dia dos pais?

Hoje é dia dos pais. Dia de presentes como gravatas, bebidas, ferramentas, camisas de time; presentes tipicamente masculinos. Olhando os presentes pode até parecer que ser pai ainda é algo à moda antiga, masculino e distante. Só que há uma mudança na paternidade, e os presentes podem representar bem o que significa esta mudança.

Se olharmos o cinema como um indicador, o filme mais assistido do ano, Vingadores: Ultimato - e sua primeira parte Vingadores: Guerra Infinita - são filmes com referências clássicas à cultura masculina, tal como ganhar gravatas, mas ao olharmos com cuidado, o principal tema emocional dos filmes não é se descobrir forte e corajoso para salvar o mundo, o principal tema emocional dos filmes é a paternidade.

Nestes dois filmes é preciso, claro, salvar o mundo, só que a jornada dos heróis tem um tema novo, o tema de descobrir e abraçar a paternidade. Os heróis esbarram em si mesmos pelo caminho, e tem que lidar com os próprios desafios emocionais, lidar com o medo, o luto, a depressão, e o fracasso. É aí que entra a paternidade na jornada dos heróis - cada um à seu modo. Através de serem pais e aceitarem paternidade os heróis encontram ali a coragem para aceitar o outro e ser quem eles são, encontram a coragem de amar e se deixar amar. A força dos heróis para se superar e salvar o mundo, vem do amor, vem de ter emoções, vem de ser pai plenamente. O vilão também tem sua jornada emocional marcada pela paternidade, no caso é definido por ser incapaz de reconciliar a relação com as filhas. Como ele foi incapaz de reconhecer a importância que ser pai tem pra si, e para as filhas, acabou traído por elas. Assim ele fracassa primeiro como pai, e por consequência é derrotado e fracassa como vilão. No universo masculino do cinema, ser pai é uma força a ser descoberta pelos homens.

Não faltam exemplos da tendência de que a paternidade seja o tema em filmes voltados para o público masculino. Podemos facilmente citar sucessos de bilheteria como Logan, Interstellar, Star Wars 7 e 8 . Também é fácil ir além do cinema e citar The Last of Us e The Witcher III que são dois dos mais aclamados videogames de ação desta geração - e onde o jogador é colocado na figura do pai. O sucesso destas obras nos mostra que a paternidade tem sido a principal referência de como conciliar emoções e “testículos” no universo masculino. Uma provável resposta a este mundo que mudou tanto para homens. Um mundo onde é preciso coragem para amar, viver sentimentos intensos, ser vulnerável. Coragem para trocar fraldas, ouvir choro, e ir na reunião de pais do colégio. Coragem para viver a tristeza e a alegria. E é preciso ainda mais coragem para descobrir no amor e nos filhos um novo modo de ser homem. Por isso meus parabéns a todos pais - que com a gravata suja de papinha e vendo futebol - estão com seus bebês no colo, os colocando para dormir, e descobrindo a força deste amor.

Meus parabéns a todos pais pela coragem de se entregar plenamente a este amor, e por consequência, construírem o que realmente é ser homem em seu melhor sentido.

Feliz dia dos pais.

Autor: Guilherme Rodrigues Moritz
Psicólogo do núcleo de terapia Sistêmica do CEFI