Qualificando Relações

Sobre o Dia das Mães...

Tradicionalmente, no segundo domingo de maio comemora-se o dia das mães, data significativa e repleta de sentimentos. Nesta época, a mídia nos traz propagandas emocionantes, outdoors com mães e filhos juntos, lojas cheias de pessoas em busca de um presente para sua mãe e diversas outras manifestações e homenagens. É uma data comemorativa, mas que pode não ser vivida desta forma por todos. Alguns filhos não tem a presença física da sua mãe e algumas mães perderam filhos.

Nessa data você pode prestar a sua homenagem, lembrando de momentos bons vivenciados, revendo fotos, se permitindo chorar, ou também não participando de celebrações se não se sentir confortável pra isso. É importante que você respeite o seu tempo e o seus sentimentos. O sofrimento existe porque nos despedimos de quem amamos, e por isso essas perdas são tão doloridas.

O luto é um processo natural, singular e que demanda tempo e energia para que seja possível se adaptar ao mundo sem a pessoa amada. Neste processo o enlutado pode sentir-se incompreendido, que a dor o paralisa, necessitando de amparo. É importante receber apoio, ter espaço para manifestar seus sentimentos, ter acolhida para poder falar sobre quem perdeu e prestar homenagens.

Cuidar da nossa dor é um fator de prevenção ao adoecimento. Quando nos despedimos, podemos dar início a uma nova conexão com quem perdemos, que ajudará a seguir em frente sem a pessoa amada.

Brunelly Ferrari, CRP 07/29127 e Sabrina Abruzzi, CRP 07/22073

Membros da Equipe do CORA, núcleo de Luto do CEFI