Qualificando Relações

O SENTIDO DA DOR

Dentre as tantas espécies que habitam este planeta, eu gostaria de trazer apontamentos sobre a nossa espécie no seu processo evolutivo. Nossos corpos foram se moldando, desenvolvemos linguagem, capacidade de representar mentalmente tudo o que está ao nosso redor e o mundo transformar. O rápido avanço tecnológico que alcançamos, especialmente nas últimas décadas, nos coloca – aparentemente – muito distantes de quem um dia fomos lá nos primórdios da humanidade. Construímos meios de transporte, lares confortáveis, temos fontes de alimentação rápida e devidamente estocada, inúmeras formas de entretenimento e de comunicação. Me parece fantástico tudo isso que o ser humano é capaz de inventar e descobrir. Graças a isso, temos uma vida mais protegida, combatemos doenças e planejamos os passos futuros da sociedade. Atribuímos valor para muito além dos recursos básicos de sobrevivência, criamos bens, status, estabelecemos parâmetros para definir o que é ter sucesso na vida. Afinal, o ser humano está constantemente indo atrás de inovação para melhorar sua qualidade de vida aliviar o seu sofrimento.

Certamente muitas fontes de ameaça à nossa sobrevivência já foram combatidas, mas mesmo para aqueles que vivem em locais privilegiados e desenvolvidos e têm acesso ao melhor smartphone, o carro mais seguro, um bom cargo em seu trabalho, a vida segue tendo adversidades. Frente a elas (adversidades), aumentamos nossos recursos para lidar com problemas, mas ainda sim, sofremos. Ao olharmos para o lado e vemos algo que não podemos ter, sofremos. Ao olharmos para o lado e vemos o que o outro não pode ter algo importante, sofremos também. E mais, não conseguimos tolerar a dor que sentimos. E com isso, sofremos.

Texto completo no blog - https://bit.ly/2YYbesG